Empatia e solidariedade: estratégias de comunicação de marcas de moda cearenses no Instagram em tempos de pandemia

Autores

Palavras-chave:

COVID-19, Instagram, marcas, comunicação empresarial

Resumo

Da primeira vez que ouviu-se falar de COVID-19 até o estabelecimento de um lockdown praticamente global não passou muito tempo. Uma crise sanitária que de imediato se refletiu na economia, mudando a forma de conduzir negócios e forçando empresas a se adaptarem aos novos cenários que agora dependiam massivamente de plataformas virtuais para continuarem existindo. A indústria da moda sofreu grandes impactos com o fechamento de lojas físicas e uma queda vertiginosa na demanda de produtos considerados não essenciais. Em contrapartida, o uso de redes sociais só aumentava com a maior parte da população mundial confinada em suas casas. O Instagram apresentava picos de tráfego jamais vistos. Este artigo objetiva analisar, por meio de estudo de caso, as condutas comunicacionais no Instagram de três marcas de moda cearenses durante a crise: Parko, Água de Coco e Catarina Mina. A escolha da amostra deve-se aos posicionamentos mercadológicos diversos das marcas. Utilizou-se como metodologia a Análise de Conteúdo de Laurence Bardin (1977) e para métricas do Instagram e cruzamento de dados estatísticos das marcas o trabalho de Betina Hollstein (2011). Observou-se que a comunicação em tempos de crise deve possuir uma natureza solidária respondendo com rapidez e transparência a seus stakeholders. Empatia foi a palavra de ordem que prevaleceu frente a interesses comerciais. As marcas pesquisadas mudaram radicalmente as linhas editoriais e aplicaram tais critérios em postagens, mesmo que, quantitativamente, as principais inserções ainda fossem de natureza promocional. 

Biografia Autor

Silvia Helena Belmino Freitas, Universidade Federal do Ceará

 

 

Downloads

Publicado

2020-12-29

Edição

Secção

Dossiê temático - comunicar em tempos de pandemia