A propagação de falsas curas da Covid-19 em África e o contributo do jornalismo de investigação: um exemplo do Gana

Autores

Palavras-chave:

desinformação nos média tradicionais, jornalismo de investigação, saúde e espiritualidade, Gana, África

Resumo

Na sequência do desenvolvimento da pandemia do SARS-CoV-2, entretanto designado por Coronavírus, a busca para uma vacina da doença associada, a COVID-19, tem sido mundialmente encarada como um desafio. Neste sentido, profissionais do campo da Saúde e de outros campos, têm tentado procurar curas alternativas, embora nem sempre sejam benéficas. O presente artigo propõe uma análise de conteúdo da reportagem ‘Coronavirus: Ghana 'quack doctors' selling 'cure'’ – em português, ‘Coronavírus: 'médicos charlatões' do Gana que vendem 'curas'’ –, produzida pela BBC e conduzida pelo jornalista Anas Aremeyaw Anas. Definiram-se e exploraram-se categorias temáticas a partir desta peça jornalística, tendo estes sido: a desinformação nos média tradicionais, a interferência da espiritualidade nas práticas da saúde e o jornalismo de investigação como forma de combate da informação falsa. Com este artigo, debate-se como este tipo de jornalismo pode contribuir para o combate à desinformação nos média, originada pelas crenças associadas à espiritualidade no continente africano e, em especial, no país ganês, no qual se foca a reportagem em análise.

Downloads

Publicado

2020-12-20

Edição

Secção

Dossiê temático - comunicar em tempos de pandemia